VII Congresso Brasileiro de Geógrafos – A AGB e a Geografia brasileira no contexto das lutas sociais frente aos projetos hegemônicos

INSCRIÇÕES ABERTAS NO SITE 

10 a 16 de agosto de 2014 – Vitória/ES

PRAZOS E TAXAS DE INSCRIÇÕES 

MESAS REDONDAS

Mesa de Abertura – A AGB e a produção científica da geografia brasileira

Demais Mesas Redondas:

1. Entidades científicas e lutas sociais.

2. 25 anos da “Constituição Cidadã”: o papel do geógrafo no processo de redemocratização brasileira.

3. Periódicos, publicações, encontros: o que nós produzimos revela sobre a geografia que fazemos?

4. Ser geógrafo(a) educador(a) no país da Copa: grandes obras, grandes eventos… e a Educação Pública?

5. Fala Professor: cotidiano, experiências e práticas pedagógicas dos professores de geografia no ensino básico.

6. Professor em Movimento: quem educa luta?

7. Mudanças climáticas e capitalismo verde.

8. SIG e cartografias: novas ferramentas e a alienação do fazer geográfico.

9. Repensando o espaço da(na) natureza e a natureza do(no) espaço.

10. Lutas indígenas e os Territórios em disputa.

11. A questão agrária e a soberania alimentar: agroecologia e a problemática dos agrotóxicos.

12. Movimentos sociais: novos atores, novas formas de luta.

13. Cadê aquela praia? Um porto comeu.

14. Grandes projetos de infraestrutura energética e as disputas pelo território.

15. Conflitos territoriais, grandes projetos nacionais e natureza.

16. Mobilidade urbana e luta pelo direito à cidade.

17. Desastres para quem? Produção do espaço urbano, vulnerabilidade e risco nas cidades brasileiras.

18. O apito foi dado: os megaeventos esportivos e a reorganização das cidades.

19. O(s) espaço(s) e as Geografias do gênero e sexualidade na sociedade contemporânea.

20. Ofensiva do capital sobre o campo e a cidade: a resistência das mulheres nos territórios.

EMENTAS DAS ATIVIDADES

Grupos de Trabalho

Os GTs (Grupos de Trabalho) são espaços de mobilização e produção coletiva de posicionamentos dos agebeanos e da AGB, cujo objetivo principal é pensar e realizar ações e intervenções na Sociedade, na Geografia e na própria entidade. Essas ações têm como subsídio o saber geográfico, cujo importante componente é a proximidade da realidade propiciada, por exemplo, a partir de relações com movimentos sociais. Os GTs se organizam em torno de recortes temáticos e reagem às atitudes demandadas pela sociedade ou à proposição interna de ação do próprio GT. Assim fortalecem a atuação política das Seções Locais da AGB, através de reflexões, formações e intervenções.

Os Grupos de Trabalho propostos devem ser resultados de acúmulos de discussões e ações de cada Seção Local, em caráter local e/ou regional e/ou nacional. As inscrições dos GTs serão realizadas pelas Seções Locais. Cada Seção Local poderá propor GTs de acordo com suas demandas, desde que aprovados em suas respectivas assembleias e devidamente comprovados em Ata.

Os coordenadores indicados deverão ser associados da AGB. Os GTs propostos serão apresentados no VII Congresso Brasileiro de Geógrafos (CBG) mediante uma subdivisão temática feita pela comissão de GTs, por isso é imprescindível que cada Seção Local indique a pluralidade de ações que ocorrem em cada GT local, através do envio de uma listagem para o endereço eletrônico da Comissão de GTs com: 1. Nome da seção local; 2. Indicação dos GTs ativos e suas atuais e respectivas abordagens; 3. Indicar se aceita ou não dividir espaço no CBG para dialogar com outros GTs, de outras seções locais, que estejam com abordagens próximas, complementares, ou que incidam sobre a mesma temática – sendo essa divisão dos espaços organizada pelos critérios da Comissão de GTs.

A comissão de GTs tratará de articular as temáticas na composição dos espaços. Os GTs no CBG serão formados por quantos membros quiserem participar do espaço, considerando o nível de envolvimento de cada associado com a temática a fim e o limite de pessoas que as salas comportarem (a ser definido).   Os participantes dos GTs deverão apresentar um Relatório Final de suas atividades no Fórum de GTs, elaborado coletivamente, indicando suas propostas de ações que serão avaliadas e aprovadas na Plenária Final. O Fórum de GTs será o ponto de culminância e articulação de todos os GTs que ocorrerem no CBG. No Fórum de GTs serão aprofundadas questões como a atuação da AGB na atual conjuntura política brasileira, a concepção do GT no interior da AGB e o movimento de Articulação Nacional dos GTs.

A importância que os GTs têm na entidade reflete o entendimento de que a dinâmica da sociedade impõe mudanças a AGB, e de que a AGB está comprometida com esse processo. O Fórum de GTs representa, portanto, um momento fundamental para a construção da entidade.

Trabalhos de Campo

As atividades de campo se confundem com a própria história da Geografia enquanto Ciência, e, em função da sua importância, os trabalhos ou atividades de campo tornaram-se presença permanente nos eventos acadêmicos da Geografia. Os eventos da AGB não fogem a essa regra. Nos primeiros eventos de caráter nacional da entidade, as “expedições científicas”, como eram chamadas, constituíam-se na motivação principal do encontro.

Desde as “expedições científicas” a AGB se transformou, assim como seus eventos e a própria Geografia brasileira. No entanto, as atividades de campo continuam como componente significativo dos eventos da entidade.

No VII CBG, as atividades de campo têm como objetivo principal estabelecer um diálogo entre o tema e os eixos temáticos do congresso e a realidade local. Nesse sentido, espera-se que os trabalhos de campo problematizem as questões do território capixaba, enriquecidas com as trocas de experiências e as percepções dos geógrafos de todo o país. E ao proporcionar tais diálogos, a expectativa é que essa atividade, de um lado, contribua com a compreensão das questões locais e, de outro, com a formação dos participantes do VII CBG.

As atividades de campo do VII CBG serão realizadas na quarta-feira (13/08). A proposta de realização do campo no meio da programação, e não no final, reflete uma tentativa de proporcionar maior centralidade a essa importante atividade no evento.

Espaço de Socialização de Coletivos – ESCs

Esta atividade tem o caráter de fortalecer a discussão de coletivos. Estes coletivos podem ou não se constituir enquanto grupos relacionados a algum órgão de fomento à pesquisa e estará aberto aos grupos constituídos por movimentos sociais, ambientais, culturais e políticos que queiram socializar suas pautas de luta ou reivindicações. Os ESCs servem, portanto, para que os grupos acadêmicos e não acadêmicos possam socializar suas discussões com todos os congressistas.

Espaços de Diálogos e Práticas – EDP´s

Contempla a apresentação de trabalhos (pesquisa em andamento, concluídos e relatos de experiências), dentro dos eixos temáticos e áreas do evento. Nela, tanto os apresentadores, como os participantes sem trabalhos inscritos têm a oportunidade de discutir, apresentar experiências e trocar informações. Cada autor poderá apresentar apenas 01 trabalho e deverá ter 75% de freqüência no seu EDP, sendo que a carga horária é de 16 horas.

PRAZOS

Prazo para envio de Resumos para os EDPs – 07/04/2014
Prazo para envio dos Trabalhos Completos para os EDPs – 05/06/2014
Prazo para Envio de Propostas de ESCs, TCs e GTs – 04/05/2014

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s