Debate: “Transporte público e mobilidade urbana em Porto Alegre”

A AGP/RS em parceira com a AGB-Seção Porto Alegre, o Departamento de Geografia e o POSGEA da UFRGS está promovendo o evento “TRANSPORTE PÚBLICO E MOBILIDADE URBANA EM PORTO ALEGRE”.

INTEGRANTES DA MESA:

Danilo Landó (Metroplan)
Paulo Roberto Soares (Departamento de Geografia/IGEO/UFRGS)
Marcelo Sgarbossa (Vereador de Porto Alegre)
Antônio Carlos Selbach Vigna (EPTC)

DATA: 28/11/2013
HORÁRIO: 18h
LOCAL: Sala Vanda Ueda (202) no Departamento de Geografia. Prédio 43136 – Campus do Vale – UFRGS. Av. Bento Gonçalves, 9.500.

Os temas do transporte público e da mobilidade urbana, assuntos que sempre estiveram em destaque nos debates populares e na mídia nacional devido a sua estreita relação com o cotidiano dos cidadãos, ganhou especial relevância a partir de junho de 2013. Eles foram o estopim da série de manifestações que tomaram as ruas das principais cidades brasileiras em uma dimensão que só havia sido vista quando das manifestações pelas “Diretas Já”.

A mobilidade urbana, conceito mais amplo, e o transporte público, sua espinha dorsal, por toda carga de importância social a ele imputada, têm especial interesse de estudo e de ação para a Geografia, por serem elementos constituidores do espaço geográfico e por ser campo de atuação do geógrafo e de outros profissionais.

O transporte, e a mobilidade no seu amplo aspecto, têm importância para a sociedade e a economia urbana e estão diretamente relacionados à configuração sócio-espacial das cidades. Eles estão associados aos principais problemas urbanos, como poluição, exclusão social, insegurança, perda de vidas e de capacidade produtiva, dentre outros. Esses problemas endêmicos do ambiente urbano estão em constante debate e carecem de solução há anos.

As iniciativas para aumentar a mobilidade nas cidades no século XX e XXI concentraram-se na criação de espaços públicos para a circulação do automóvel. O aparente e incessante aumento pela demanda desses espaços e os transtornos urbanos que esse modelo de circulação nas cidades tem gerado, desencadeou uma série de críticas. Estas fizeram surgir outras propostas de organização da circulação e transporte, com prioridade aos pedestres e ciclistas. Todavia, essa transição ou até mesmo as disputas de modelos diferentes sobre a mobilidade não ocorrem sem tensões sociais.

As atuais medidas governamentais para o setor têm se concentrado em investimentos em infraestrutura, sendo que a grande crítica feita aos municípios é quanto à ausência de projetos alternativos de mobilidade e que privilegiem verdadeiramente o transporte público e/ou de baixo impacto ambiental. Onde estão os planejadores dos municípios? Existem profissionais, hoje, fazendo estudos sobre transporte e mobilidade, principalmente, em uma escala que compreenda as regiões metropolitanas? As renúncias fiscais para barateamento das tarifas darão conta em longo prazo para resolver um problema que é estrutural e que resultou de um longo período de pouco planejamento estratégico ou de sua efetivação?

Este evento propõe discutir a temática de mobilidade urbana, cujo foco se projeta na análise dos principais entraves para o seu desenvolvimento, bem como, aventar alternativas que viabilizem a construção de um cenário que atenda aos anseios dos cidadãos, nas mais diversas formas alternativas de mobilidade e de transporte.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s